Robert Rodriguez, mestre e professor


Robert Rodriguez, mestre e professor
Me lembro muito bem de quando comecei a entender a função de um diretor de cinema. Eu era bem criança quando percebi que meus filmes prediletos tinham uma mesma pessoa por trás deles. Com 4, 5 anos, eu adorava os filmes de Steven Spielberg e de Tim Burton. Mas, o maior divisor de águas em minha vida foi quando eu assisti ao filme ‘A Balada do Pistoleiro’, dirigido por Robert Rodriguez. Foi o primeiro filme que me fez ficar admirado por uma estética aonde a realidade flertava com o surreal. O tema, a mitologia, o uso da trilha sonora, tudo isso me fez ficar viciado naquele filme, cujo eu devorei todos os extras do DVD repentinas vezes. Durante minha adolescência, Rodriguez se tornou incontestavelmente meu diretor favorito e meu maior ídolo do cinema.
 

 

 
Por meio do destino, acabei encontrando com Robert Rodriguez em um hotel quando eu tinha 15 anos. Eu não pude me conter e fui conversar com ele. O maior medo de qualquer fã é encontrar seu ídolo e ele ser grosseiro com você. Mas, para minha felicidade, aconteceu exatamente o oposto. Eu disse a ele que era muito seu fã e que eu queria ser diretor de cinema. Ele ficou muito feliz, disse que tinha certeza que eu conseguiria, disse para eu não desistir e ainda me desejou boa sorte na minha jornada.
 
Quase 10 anos depois daquele momento, eu, já formado em cinema, participava de um festival com meu curta ‘The Adventures of Sheriff Kid McLain’. Para minha surpresa, Robert Rodriguez também estava naquele evento promovendo o novo Sim City que ele estava dirigindo. 
 

 

Eu tive a oportunidade de reencontra-lo e agradece-lo pelas palavras de incentivo que ele havia me dado a uma década atrás. Eu acabei, inclusive, presenteando ele com um DVD do meu curta. Ele ficou muito feliz, e falava “You did it man! You did it!”. Disse ter ficado feliz com minha conquista e que ficou feliz que as palavras dele haviam me encorajado para seguir nessa carreira. Ele ainda finalizou dizendo que nos encontraríamos em breve. 
 
Além de um ídolo, Robert Rodriguez é para mim um mestre e um professor. 
 
Obrigado, Robert!